terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Natal

"Portanto o Senhor mesmo vos dará um sinal: eis que uma virgem conceberá, e dará à luz um filho, e será o seu nome."
(Isaías 7:14)

"Foram, pois, a toda a pressa, e acharam Maria e José, e o menino deitado na manjedoura."
(Lucas 2:16)


A Bíblia é clara na apresentação de Jesus, o Messias prometido desde o início (Génesis 3:15): Ele é DEUS CONNOSCO. É a presença divina entre os homens; é a expressão material de um ser espiritual (João 1:14); é o supremo Deus que se desprendeu da sua forma divina e assumiu a forma de um homem (Filipenses 2:7); é a luz e a glória de Deus reveladas aos homens (Colossenses 1:15).


De que forma é que um bebé, filho de humildes peregrinos que rumaram a uma pequena cidade da Palestina do século I, acabado de nascer num estábulo, envolto em panos e deitado no comedouro de animais, pode nos dar a conhecer a glória de Deus?

A glória de Deus reside em valores eternos, não em vaidosas demonstrações de beleza temporal. O nosso Deus aprecia a humildade, o amor, a justiça, o perdão, a verdade e a generosidade. Esses são os SEUS atributos revelados naquela noite em Belém: noite feliz em que a humanidade teve o privilégio de receber o Salvador nascido; noite tranquila porque, desapercebida, permaneceu silenciosa perante tão grandioso evento.

Os anjos anunciaram: Jesus nasceu! E humildes pastores glorificaram a Deus por tudo o que tinham "ouvido e visto" (Lucas 2:20). Como eles, estejamos prontos para, humildemente, reconhecer e glorificar o SENHOR, pois habitou entre nós, cumprindo vitoriosamente o desígnio prometido. 

Por Luísa Roxo Couto

Sem comentários:

Enviar um comentário

A minha foto
Praia da Vitória, Azores, Portugal
Para a glória de Deus e edificação mútua.