sábado, 16 de janeiro de 2010

Sem AMOR...

É com expectativa que aguardamos o próximo culto em conjunto com os nossos irmãos da Azorean Baptist Church.
Sempre que nos juntamos para celebrar alguém acaba por expressar este pensamento: "Estamos a experimentar um pouco do céu." (É claro que o pastor Rúben logo dirá: "A diferença é que no céu todos falaremos português"!)
Não é incomum a congregação reunir portugueses, africanses, americanos do norte, brasileiros, mexicanos, coreanos, japoneses, ingleses, alemães e escoceses que, juntos, celebram "Aquele que é tudo em todos" (Colossenses 3:11).
É interessante queo apóstolo Paulo tenha feito esta afirmação precisamente quando falava das diferenças que podiam prejudicar o relacionamneto entre os crentes, fossem estas de nacionalidade, origem religiosa ou estatuto social. Então, ele lembrou os nossos irmãos, para quem escrevia, de que eles já não eram a mesma pessoa. Agora tinham nascido de novo em Jesus e era o SEU exemplo que deviam seguir.


O que é que isto significa?
Que o comportamento entre os discípulos de Jesus deve pautar-se de características como a paciência, a humildade, a bondade, a mansidão e o perdão.
O mesmo perdão com que o Mestre nos perdoou. E...
"... sobre tudo isto, revestí-vos do amor, que é o vínculo da perfeição" (Colessenses 3:14).
Sem O Amor; sem exercitar o carácter do Mestre; sem viver aquelas características que demonstram a QUEM pertencemos; sem isso, os nossos cânticos são como metal - sem vida - a emitir um som vazio (1 Coríntios 13).
De que me serve, então; ou melhor, de que serve a Deus, o meu entoar de palavras ao som de uma linda melodia, ou uma longa e poética oração, se, a minha vida não está revestida do vínculo da perfeição?
Que assim o Espírito Santo nos ensine e prepare os nossos corações para adorá-lo com toda a igreja amanhã.
Que Deus abençoe a SUA igreja, o SEU povo.



Por Luísa Roxo Couto

Sem comentários:

Enviar um comentário

A minha foto
Praia da Vitória, Azores, Portugal
Para a glória de Deus e edificação mútua.